sexta-feira, 3 de março de 2017

Portugal como Inglaterra?

Olá,

Há notícias chocantes, uma delas é a história de retirarem um filho a uma mãe por ela simplesmente não querer amamentar a criança.  Acusaram de "falta de amor e leite", quando eu passei a gravidez toda do Nuno a ouvir dizer que o acto de amamentar é uma opção, e a história não mudou na gravidez do Denis. Acreditem que isto me está a fazer muita comichão. É melhor para a criança não ser amamentada e ficar com a mae, ou não ser amamentada e ser retirado à pessoa com quem passou 9 meses?

Segundo o que é divulgado pelos vários sites de notícias, é que esta mãe, após 10 horas de um parto complicado, sentiu que não estaria bem para amamentar, quantas mães não pensaram assim? Eu própria tive dúvidas porque o mas velho só conseguiu mamar umas 4 horas após o nascimento! Então ela pediu ajuda e o que recebeu em troca foi isto, ficar sem o filho. Não sabia mudar uma fralda? Mas no hospital não é suposto ajudarem as mães e ensinarem? A cima de tudo apoiarem? É aqui que se encontram boas e más equipas.

Sei que este tema é delicado, como mãe que sou, sempre quis amamentar mas tenho de respeitar quem não o quer fazer, porque não é obrigatório.  Mas poderei eu condenar uma mulher que teve um parto complicado, 10 horas de sofrimento (sim nem todas têm partos rápidos. Ainda bem que no meu caso, do Nuno, foram 10 horas simples), a mulher não quer amamentar, ou não se sente capaz,  está esgotada, traumatizada e talvez sem vínculo "mãe e filho"?

Eu não vou falar sobre a história do vínculo porque acho um absurdo. Nem sempre uma mãe se apaixona pelo filho, há dúvidas, medos e receios sem fim, eu sei porque eu não tive esse vínculo. Mas pode ter sido só por receio de tudo o que poderia correr mal, certo? Conheço mães com reações muito estranhas... Adiante. Amamentar foi uma opção minha como podia ter recusado sem ser julgada por isso pois ninguém o deve fazer. Ouvimos imensas histórias de partos bons e partos maus, mas temos que ter em conta, e muitas mães vão concordar comigo neste ponto, o parto não pode ser uma boa experiência se a equipa não for boa também, porque uma boa equipa faz com que as coisas corram bem. Atenção, não estou a dizer que a equipa que assistiu a jovem que era boa ou má, pois eu não estava lá para ver, o certo é que não faltam histórias boas e histórias más de partos e de assistência. Eu própria tive as duas experiências, equipa boa e equipa menos boa, na foi má, apenas menos boa. E próprios enfermeiros admitem que há bons colegas e.. os menos bons pronto.

Segundo, dizem que o bebé ficou desidratado ao terceiro dia de vida... WOW! Internado e desidratado? Terei de relembrar que vinham ver os meus filhos pelo menos duas a três vezes por dia, duas à noite? Assim como vinham ver o meu peito e massacrar os mamilos para verem se eu tinha ou não leite e se estava a correr tudo bem? Há aqui qualquer coisa errada. Dizem também que a mãe tinha dificuldade de acordar à noite para amamentar, porque estava com uma depressão? Ooops cuidado mães que não podemos ter uma depressão, por isso apresentamos um grave risco para os nossos filhos, e coitados são órfãos de pai e avós e tios e qualquer vínculo familiar próximo.

Por fim, então é chamada para ir à CPCJ e nem sequer a informam que tem direito a um advogado e fazem com que uma mãe assine algo sem perceber o que está a assinar? Diz nas notícias do jornal SOL,a 29 de Fevereiro, que passa além de a criança estar num centro de acolhimento contra a vontade dos pais, também lá se encontra sem autorização judicial... perfeito. Afinal parece ser um mal do mundo em geral. B

Eu começo seriamente a temer pela sociedade, pois anda a ficar tudo louco! A criança tem mãe, tem pai e ainda tem avós, não deveriam entregar a criança a uma dessas pessoas? Claro que não afinal sem memórias é perfeito para adoção... chamem-me o que quiserem mas é a minha opinião.  Algo aqui correu mal, a mãe até podia não ter condições, ou estar sã, mas há mais família, FAMÍLIA! Não pessoas desconhecidas! Epa, descobriram os segredos do estrangeiro e vieram aplicar em Portugal, é deveras fantástico.

Com isto tudo querem aumentar a natalidade, é crime da parte das instituições, atrasos absurdos no abono, passou um ano quase para chegar o dia em que eu recebi o pré natal... pus papeis em abril do ano passado e recebo já em 2017! Se não fossem os meus familiares, o que fazia à nossa vida? Nem desconfio.

Estou muito chocada, aborrecida, estou tudo mesmo....

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Sou um Pirata Perna de Pau

Olho de Vidro e Cara de MAU!


Olá!

O Carnaval aqui é como o Natal, eu gosto muito mas é para as crianças, e as minhas estão doentes logo nem vamos a lado nenhum, prometi ao mais velho ir ali ao outro lado da rua para lançar os confetis e pronto voltamos logo para casa. É uma chatice porque aqui a indústria oferece fatos de carnaval como se estivéssemos no Brasil, só que não estamos! Temos de vestir mil e uma peças por baixo do fato, ou então ser muito calorentos.

O mais velho teve o desfile na sexta feira organizado pela escolinha mas como era para mostrar as máscaras os pequenos vieram para a rua sem casaco. Conclusão uma hora a andar resultou num puto doente e agora sao dois putos doentes.
Não acho bem andarem a desfilar as crianças pela rua, mas claro que o pestinha queria ir com todas as outras pestinhas da escola, e as educadoras/professoras levam-nos sem casaco, ah para o ano não me apanham, acho que mascaro o miúdo de boneco Michelin hahaha.

Críticas à parte, o Nuno queria um fato de pirata, para usar uma só vez não gasto mundos e fundos, é o que for mais simples, bonito e barato, por esta ordem. Não íamos comprar para o pequeno, haviam duas aqui algures do irmão, mas a verdade é que não resisti quando vi um piratinha bebé e lá me deixei levar pela onda dos fatos para bebé... Nem me acredito que os fatos de bebé são mais caros  que os de criança...


E cá está o resultado final!

OMG! Será que me estou a transformar numa mãe que veste os filhos como se fossem gémeos? Hihihi

O carnaval hoje em dia não me diz muito, mas ver a felicidade do filhote (quando o Denis perceber vai ser igual) a lançar confetis e a brincar ao faz de conta com um fato e acessórios faz com que valha a pena! Talvez no próximo ano ele queira um fatinho que possa fazer em casa, como fez a Guida do "A Guida é que Sabe", ela tem uma Minie tão fofinha!!! Tudo com o que tinha por casa praticamente! Havia na escolinha crianças que não tinham máscara, nunca deixaria um filho ir para um desfile sem um pequeno acessório que fosse, ou então não ia à escola nesse dia. Se não há possibilidades de compra há sempre pinturas em casa, e outras coisas, uma vez fiz do meu irmão um fantasma, com um lençol e com um cordel! Foi para o Halloween mas vocês perceberam a ideia!

E a pequenada por aí anda divertida? Como foi o vosso carnaval? Que fantasias usaram? Partilhem aqui nos comentários

Beijinhos

Pat

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Dia do D! - Peri-Oral

Olá!

Hoje venho falar sobre um produto da Uriage. Pois bem se o mais velho fazia alergia à marca, o mais novo tem-se dado muito bem e estou bastante satisfeita. Um produto que recomendo às mães que amamentam é este para proteger a boquinha e bochechinhas dos nossos pequenos.

Soin Péri-Oral 

O produto não tem cheiro e não é preciso pôr uma grande quantidade. O grande senão do produto, a meu ver, é a embalagem. É feita de alumínio o que significa que com o tempo pode deteriorar-se e começar a abrir, (motivo pelo qual costumo evitar o bephantene) o que poderá ser um problema, já estou a imaginar a mala cheia de pomada! Mas se for cuidadosamente guardada não terão de se preocupar com isso. Cá entre nós, seria melhor se fossem embalagens como das amostras, são de plástico.

Embalagem de amostra 

É um creme reparador enriquecido com a água termal de Uriage, associado ao complexo patenteado TLR2-Regul. Esta combinação faz com que acalme a vermelhidão e irritações do contorno da boca. A sua tecnologia acalma o desconforto provocado por micro-organismos e limpa a pele graças à sua combinação com gluconato de cobre e zinco que limita a flora bacteriana.
Tem também efeito reparador e constitui uma protecção óleo mineral à superfície da pele.
É hipoalergénico, não comedogénico e isento de perfume.

Uma embalagem tem 30ml e dura imenso tempo, é possível que dure 6 meses ou mais, depende do uso que cada um dá, se puserem sempre ou se só utilizarem quando o bebé apresenta sinais de vermelhidão ou borbulhinhas em redor da boca. Eu costumo colocar também nas bochechas se notar que estão muito vermelhas ou com borbulhinhas de ele mamar, assim como após a introdução das sopinhas, sabemos que nos primeiros tempos é uma bodega, e é natural que a pele reaja às novas substâncias, aqui o D. fica cheio delas depois da sopinha ou puré, então nem há hipótese, lavar a carinha e creme no contorno da boca e bochechas!

E as mamãs daqui, já conhecem? Recomendam? Nós Sim!

Beijinhos

Pat

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Dia do D!

Olá!

Todos os meses vamos ter o Dia do D!, onde vos vou falar sobre os preferidos do Denis (ou neste caso, da mamã do Denis) assim como dos que não voltaria a escolher. Pode ser apenas um dia do mês como pode ser mais do que isso, neste primeiro mês serão mais do que um.

Começamos então por um dos primeiros produtos que ele usou depois do nascimento, as toalhitas.
Water Wipes é sem dúvida uma coisa que não pode faltar na malinha da maternidade, nem sempre é fácil ter agua quente e compressas à mão, e quando falamos do primeiro cocó (mucónio) a compressa com água morna não resulta muito bem (falo por mim), e sabemos que a pele de um bebe ainda só conheceu o liquido amniótico, pelo que todo o cuidado é pouco com a cosmética. Sabiam que a sua pele é 10x mais delicada que a pele de um adulto? As water wipes são compostas por 99.9% água e contém apenas 0.1% de extracto de fruta, no hospital foi o que usamos no piolhinho. Não houve qualquer tipo de reacção negativa, as toalhitas são isentas de cheiro e não são extremamente húmidas. São purificadas através de um processo livre de produtos químicos que esterilizam o material da toalhita e altera a tensão superficial da água, resultando numa “sensação suave” e mais eficaz na limpeza. Aparentemente são as únicas aprovadas pela Fundação Britânica de Alergologia.

Sei como é o medo de uma mãe na escolha dos produtos de cosmética e higiene, pode ser por vezes uma escolha complicada, a pele não está habituada a nada do novo mundo e como tal as reacções alérgicas podem ser muitas, mas se há toalhitas que eu aconselho a todas, são estas.


Cá está a prova de como é verdade o que vos digo, as melhores toalhitas para o bebé dos pés à cabeça! Podem ser encontradas nas farmácias e para-farmácias.

Beijinhos

Pat

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Feliz São Valentim

Olá!



Mais um ano, mais um dia dos namorados. Mas, a meu ver, chamar-lhe dia dos namorados não está correto, uma vez que é um dia em que se celebra o amor e o amor pode ser de várias formas, temos o amor entre casais, o amor de pais e filhos, avós, amigos e família. Pois cá em casa todos tivemos direito a prenda.

Chamar dia de São Valentim sim, eu nunca fui muito a favor do dia dos namorados, até porque é uma discriminação para quem não tem alguém a quem dizer "feliz dia dos namorados", mas dizer "feliz dia de São Valentim" já tem um significado diferente e podemos dizer à melhor amiga, aos pais, a toda a gente importante para nós.


Por isso, namorados ou não, eu desejo a todos um ótimo dia de São Valentim porque o amor é para todos e não só para aqueles que namoram.



Beijinhos

Pat

domingo, 12 de fevereiro de 2017

O pós-parto

Olá!

Já se passaram uns mesinhos mas cá estou eu para vos falar do pós parto do nosso Denis.

Depois de todo o esforço feito para o pôr no mundo e de ter visto aquele ser branquinho (vermelhinho) loirinho igual ao avô, lá fomos nós para o recobro. Primeira pergunta depois da instalação: "Posso beber água? Eu não tenho sede mas quero beber água!" Claro que a resposta foi não. Não tinha mesmo sede nenhuma, juro que não, até porque estamos a soro logo o corpo não pede água, mas apetecia-me tanto beber depois daquele esforço todo!

Puseram a minha coisinha mais boua ao meu lado e eu toda feliz da vida a dar de mamar ao meu menino tão meu, duas horas só eu e ele. Um momento para o olhar, observar, admirar, ter o coração cheio e quase a arrebentar, mais uma vez o meu coração estava fora de mim. Há medida que o tempo passava eu na queria era ir para o quarto, queria saur dali do recobro e queria finalmente descansar... 

Passadas as duas horas lá me vieram examinar, ou fazer uma pequena tortura, hoje rio-me da situação, mas na altura sofri (apesar de me ter rido no fim), quem já é mãe sabe do que falo, aquela hora em que chega alguém e quase nos esmaga a barriga para expulsar o sangue acumulado no útero, ainda hoje me contorço só de lembrar! Pois enquanto a senhora me esmagava eu, estupidamente, reflexo da dor, a empurrava! O que vale é que ela era firme e não se mexeu nem um centímetro, a meio quando me deixou respirar um pouco lá lhe pedi desculpa porque era mais forte que eu, sentia-me uma idiota mas a senhora era muito simpática e quando voltou ao segundo round... eu já estava a empurrar as barras laterais da cama e não a ela hahaha depois acabou. 
Durante o processo alguém choramingava no bercinho ao meu lado, como não havia chuchas nem nada eu fiz uma batota, ainda não o iam pôr ao meu lado na cama novamente então pus o dedo mindinho em forma de gancho e deixei que chuchasse o nó do dedo. Escusado será dizer que acharam muita piada quando me viram de braço esticado a dar algum conforto ao meu canuco. Finalmente chegou a comida! Nunca fiquei tão feliz por ver um pequeno almoço!

Passaram mais de 2 horas até conseguir ir para um quarto, assim que cheguei foi uma maravilha, paz e sossego, e lembram-se da mãe que desmaiou durante o parto? Ia ficar no meu quarto mas como não tinha cortinas (acho que houve um atraso qualquer da parte da lavandaria) levaram-na para outro quarto pois a enfermeira recusou-se a fazer a observação não havendo privacidade.

Ah, foi um dia bom, a primeira pessoa que nos foi ver foi a titia Susana e o titio, o pai veio depois porque tem de almoçar não é, assim como o mano e a vovó. Foi um dia até bastante calmo, até que uma vez ao fim da tarde eu adormeço, está lá o LA. comigo mas acordo e vejo duas pessoas a mais hahaha mesmo ali ao meu lado a admirar o meu pequeno, que estava na caminha comigo, a serio, fiquei um pouco perdida no tempo e no espaço. 

Acabou a hora das visitas, mas há noitinha veio para o quarto uma mãe e uma princesa, é bom não ficar sozinha mas... a bebé chorava muito, noite toda toda a chorar...eu acordava-o tantas vezes por causa da bebé, ja o meu dormia que nem um anjo, eu é que tinha de o acordar para mamar! E foi assim durante a nossa estadia,  muito choro, algumas dores normais do pós parto, mas sempre tudo calmo, pelo menos connosco. A alta foi-nos dada no terceiro dia, uma loucura havia 15 altas para serem passadas! Já estava a desesperar mas lá viemos embora.

Não tive visitas inconvenientes e ainda bem, tenho a agradecer ao melhor homem do mundo por ter estado sempre ali sem vergar, à titia Susana por ter dispensado tanto do seu tempo para me acompanhar, adoro-te do coração, à minha mãe por ser a melhor mãe e avó que alguém pode ter.

Espero conseguir regularizar as publicações a partir daqui, parece que não mas ser mãe de dois não é o mesmo que ser mãe de um só, mas não mudava nada na minha vida!



Beijinhos

Pat

domingo, 8 de janeiro de 2017

Cucú!


Olá!

Mas quando foi a última vez que aqui estive?? Já passou tanto tempo... coisas de mãe não é, afinal ainda só passaram três meses e ainda não temos uma rotina bem estabelecida... Nem para rascunhos eu tenho tempo! Fiquei eu de vos contar o pós parto, e vou contar tintim por tintim, mas não hoje, já é tarde.
Nem deixei post de bom ano nem nada eu sou uma desgraça! Mas ainda vou a tempo por isso..

Bom ano 2017!!!


Beijinhos 

Pat